Está cada vez mais recorrente a oferta por cursos semipresenciais e 100% online. Vários segmentos educacionais aproveitam essa modalidade, desde o ensino superior, até cursos de especialização, incluindo mestrados e doutorados. Também há muita divulgação para cursos livres e de curta duração. Muitas vezes complementados por certificados de conclusão, grande atrativo para quem busca adicionais ao seu histórico acadêmico e de formação continuada.

Mas não são apenas as ofertas que estão em ascensão. A procura por essa modalidade de ensino também tem crescido. Muitas pessoas apostam na educação EAD como seu formato de ensino preferido. E com o advindo de plataformas AVA (ambiente virtual de aprendizagem) cada vez mais fáceis e intuitivas, torna-se bastante interessante o desenvolvimento da autonomia para o processo de ensino e aprendizagem.

No entanto, não podemos esquecer nossa educação tradicional, pioneira, voltada para a modalidade presencial. Ela faz parte da jornada educacional dos indivíduos, visto que boa parte dos estudos na educação básica ainda são ofertados obrigatoriamente no formato presencial. Sabemos, também, que determinados cursos não possuem a tecnologia adequada para serem ministrados à distância. Nestes casos, mantém-se o ensino convencional.

Há constantes discussões sobre essas diferentes educações. Neste artigo abordaremos as principais, sendo estas: diferenças entre as educações EAD e presencial, qualidade de ensino nas diferentes modalidades, coexistência e importância dessas modalidades.

Diferenças entre as modalidades EAD e Presencial

Tanto a modalidade EAD quanto a Presencial buscam o mesmo objetivo final, o aprendizado dos indivíduos através de um processo formativo. No entanto, suas trajetórias para chegarem a esta finalidade são bastante distintas. Abaixo listaremos as 10 principais diferenças entre cada uma.

1 — Flexibilidade: a flexibilidade para estudar é algo que está super em alta. Em função das rotinas atribuladas e várias demandas como trabalho, vida pessoal, estudos, etc, fica difícil organizar uma rotina em que seja necessário se deslocar até um ambiente físico específico para a realização das tarefas acadêmicas. Diferentemente do modelo presencial, os cursos EAD fornecem essa flexibilidade para gestão do tempo e auto organização, conforme necessidade de cada aluno.

2 — Custo: essa é uma temática extremamente importante e muitas vezes decisiva na tomada de decisão para realização de um curso. Os cursos EAD chegam a ser 20% mais em conta do que cursos presenciais. Obviamente, é mais custoso manter um ambiente físico do que reservar um espaço para gravação de vídeo aulas ou produção de conteúdos. Neste ponto, para quem deseja continuar os estudos, mas enfrenta problemas orçamentários, a educação EAD se torna uma opção muito atrativa.

3 — Alcance: quem não conhece alguém que precisou se mudar para realizar aquele curso específico que não era ofertado em sua cidade? Ou queria muito fazer uma graduação, porém as vagas eram super restritas? Os cursos EAD, de norte a sul, democratizam a educação. O alcance é mais amplo, logo há mais oportunidades com relação a demanda.

4 — Mobilidade: logística e orçamento mensal para deslocamento são questões que podem desmotivar e incentivar a descontinuidade em um curso. Principalmente para residentes de grandes regiões metropolitanas em que o trânsito afeta diretamente a qualidade de vida das pessoas.

5 — Gestão do tempo: Se a educação EAD fornece flexibilidade, em contrapartida necessita de gestão do tempo. O estudante precisa se autorregular para não perder prazos e entregas. Esse controle é feito por ele. Saber organizar sua rotina é imprescindível para conseguir se manter ativo e com todos os materiais em dia quando se trata de plataformas de aprendizagem virtual.

6 — Entregas: os formatos de entrega de trabalhos, bem como realização de chamadas, podem ser totalmente distintos nas duas modalidades. Quando pensamos em aula física, temos sempre em mente o contato direto com o professor. Isso muda no ambiente virtual. As entregas podem ser requisitadas em diferentes meios tecnológicos e as chamadas serem computadas somente após às entregas desses materiais.

7 — Didática: a forma como professor ou tutor realiza as mediações varia bastante. Quando tratamos de educação EAD ou educação semipresencial, focamos em metodologias voltadas para o ensino híbrido ou sala de aula invertida. Além disso, há obrigatoriedade no processo de autonomia para o estudante. Ele necessita construir seus aprendizados, ainda que tenha acesso aos professores. Para educação presencial, já estamos acostumados aos modelos de aula. Normalmente centrados no professor.

8 — Tecnologia: tecnologias multimídias são indispensáveis para realização de atividades EAD. Tanto para acompanhar as aulas, quanto para postagem das entregas de cada disciplina. Nestes casos, orienta-se que o aluno tenha noções básicas para conseguir manipular os instrumentos tecnológicos e acompanhar as tarefas propostas.

9 — Interação: muitas pessoas acreditam que apenas ambientes físicos são capazes de proporcionar interação entre indivíduos. Mas a verdade é que ambientes virtuais também são locais oportunos para fomentar as inter-relações. Através de fóruns de discussão, espaços abertos para trocas ou mídias sociais, é possível se manter conectado e criar vínculo com colegas. Web conferências e vídeo conferências também promovem essas interações. A diferença é que nem sempre serão interações síncronas e, claro, conversas na hora do lanche e cafezinho ficam disponíveis, apenas, para as aulas presenciais.

10 — Experiência: sair de casa, conhecer o ambiente universitário, passear pelo campus, realmente são experiências que a educação EAD não pode proporcionar. Talvez em um futuro não tão distante com os óculos de realidade virtual seja possível se sentir dentro dos espaços de ensino.

As duas opções de ensino proporcionam vantagens e desvantagens. Depende muito da necessidade de cada estudante. O que não podemos considerar, com base no senso comum, é definir que educação a distância é inferior a educação presencial. Afinal de contas, são propostas distintas.

Até porque, engana-se quem acredita que seja mais fácil o ensino através de plataformas virtuais. Uma aula virtual exige tanto quanto uma aula presencial. Estamos muito acostumados a esperar o material do professor, passar a maior parte do tempo ouvindo, por meio de um ensino passivo, completamente voltado para o docente. Conhecemos muito sobre educação reativa e não proativa. Quando nos deparamos com plataformas que exigem nosso esforço, autodidatismo, protagonismo, percebemos o quanto ainda necessitamos evoluir.

É necessário desenvolver muitas competências e habilidades nesse processo inovativo de educação.

Desenvolvimento de competências e habilidades através da educação EAD

Não são poucas as habilidades necessárias ou as que desenvolvemos para o uso de plataformas digitais pautadas na educação EAD. Inclusive, pode-se citar diversas dentre as propostas sob o guarda-chuva das competências do século XXI. O aluno que deseja incorporar a sua trajetória nessa modalidade, precisa estar disposto a aprender muito e aprender de forma autônoma. Acreditando nas suas potencialidades, capaz de ser flexível e se reinventar, sempre que necessário.

Ser organizado e disciplinado também são características fundamentais. É fácil desistir nas primeiras dificuldades, por isso persistência e resiliência fazem parte do time de habilidades conquistadas. Desenvolver a capacidade de se comunicar de forma assíncrona, compreendendo os tempos e espaços compõem esse perfil de estudante. Cada pessoa vai descobrir o seu jeito de interagir online. A questão é conseguir utilizar diferentes meios de comunicação e se aliar às tecnologias. Por fim, mas não menos importante, conseguir estabelecer suas metas, gestão do tempo e auto-regulação.

Parece muita coisa, mas nem tanto assim. É um processo gradual que acontece conforme vamos experimentando essa modalidade e nos aventurando nos mais variados cursos. Cada um com suas peculiaridades e singularidades. E o mesmo acontece com a educação presencial. Afinal de contas, ela coexistirá.

Educação EAD pode substituir a presencial?

As duas modalidades de ensino são importantes e possuem suas próprias características. Cada pessoa, conforme seu intuito e necessidade, saberá escolher por qual optar. Elas continuarão por muito tempo coexistindo e trabalhando juntas com o propósito de qualificar a educação e atingir o maior número de pessoas.

A tecnologia, cada vez mais, trará alternativas para o processo formativo. Sempre teremos novas soluções surgindo. Isso é perceptível, principalmente, nas plataformas de educação a distância. Fáceis de navegar, intuitivas e robustas. Capazes de interagir com as pessoas de forma natural.

Fonte da imagem de capa: Pexels