O Princípio de Igualdade

Para você, o que significa democratizar? Se formos buscar seu significado no dicionário encontraremos as seguintes definições: “definição de princípios de igualdade entre membros de um grupo, “disponibilização (de algo) a todos ou à maioria”. Informações obtidas pelo infopédia. Sem maiores delongas, democratizar é proporcionar oportunidades a todos. Dar acesso e recursos às pessoas para que tenham condições de evoluírem. É despertar seus sensos políticos para que sejam capazes de se tornarem sujeitos atuantes na sociedade e não apenas indivíduos instrumentalizados. Entender e compreender as diferentes culturas, classes sociais para criar situações em que todos, dentro das suas possibilidades e capacidades, tenham um lugar digno em suas comunidades. Não podemos marginalizar ou esquecer aquilo que é periférico. Ainda mais quando falamos sobre as massas populacionais, precisamos pensar nas maiorias e minorias com o mesmo cuidado e respeito. Principalmente quando lidamos com temas referentes à Educação e acesso à informação.

Democratizar a Educação

E quando pensamos sobre os conceitos de democratização aplicados à educação? Infelizmente, no Brasil, as taxas de evasão escolar ainda são bem maiores comparadas às taxas de ingresso à educação básica ou ao ensino superior. Leia mais sobre as taxas de ingresso ao ensino superior. Os motivos são os mais variados e já estamos “carecas” de saber. Inclusive, muitas vezes optamos pela vitimização, em colocar a responsabilidade no outro. Em querer entender apenas o que não propicia o acesso à educação. Gastamos nossas energias elencando as dificuldades. É preciso concentrar esforços, acima de tudo, nas resoluções dos problemas. Não apenas compreender de onde eles vêm, mas como resolvê-los de forma efetiva. Quando abordamos a temática — Acesso ao Ensino Superior — sabemos o quanto o Brasil ainda engatinha. Nosso território é extenso e nessa heterogeneidade de grupos étnicos e realidades distintas muitos ficam de fora, não são integrados ao sistema educacional. Abaixo segue gráfico sobre as regiões do Brasil e a relação de ingressos no ensino superior.

Taxas de Acesso a Educação Superior na faixa etária de 18 a 24 anos (2000 a 2010) — Fonte Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada IPEA
Então, como pensar o acesso à educação para essas pessoas?

Educação EAD como alternativa

Não queremos abordar aqui a educação EAD como a grande solução para nosso problema educacional. Isso seria uma grande falta de compreensão com relação a todos os processos regulatórios, sócio-econômicos, éticos, governamentais, etc. O que queremos é destacá-la como uma opção viável, financeiramente sustentável e completamente possível de implementar. Aliás, já implementada em diversos lugares. A EAD é uma alternativa muito inteligente, inclusive através dela os índices de acesso à educação superior já subiram consideravelmente. Em 2017 houve aumento de mais de 17% de ingressos no ensino superior, maior taxa desde 2008. Informações obtidas no Portal do MEC. Porém, ainda que nos sintamos vitoriosos com o suporte da EAD é importante ressaltar um tema bastante debatido, sendo este a preocupação com relação a falta de socialização nos ambientes virtuais de aprendizagem. Claro que há diferenças entre estudar de forma presencial e à distância, mas será que as relações humanas e trocas de experiência podem ser afetadas quando nos deslocamos para um formato virtual?

Socialização e trocas de experiências através de ferramentas EAD

Quando desenvolvemos um curso EAD, precisamos pensar com cautela o tipo de ambiente virtual (AVA) que utilizaremos, cada AVA conta com recursos e funcionalidades específicas. Inclusive funcionalidades que promovem a interação entre as pessoas. Abordando mais especificamente a comunicação, pensamos em ferramentas como chats, fórum, messengers, videoconferências, videocolaborações, entre outras.

Enfim, há diversos instrumentos digitais que auxiliam a prática de socialização para essas plataformas virtuais. E dentre todas, podemos dizer que a experiência de videocolaboração é a mais completa quando pensamos em comunicação síncrona e interativa.

Através dela o professor consegue criar um espaço de compartilhamento e trocas com os participantes. No entanto, para colocar essa prática em vigor, precisamos abraçar essa causa e, de fato, conseguir criar momentos de aproximação com os estudantes. É possível estabelecer rotinas ou programações que envolvam as pessoas e as engajem para participarem das videocolaborações. Também é muito importante que o professor saiba lidar com essa dinâmica de aula, não se pautando apenas por um conteúdo expositivo. Transformar a aula em uma videoconferência, ou pior, em uma palestra. Ele precisa conhecer o recurso para explorar os conhecimentos e saberes dos participantes da melhor forma possível. Desafiar todos para que se comuniquem, se apresentem, se envolvam com as atividades propostas. Podemos citar como exemplo uma roda de conversa virtual.

Sabemos que isso não é um processo simples, vai demandar empenho de todos os envolvidos. É uma mudança de hábito e cultura. Mas dá muito certo quando há vontade e disponibilidade de todas as partes!

Todas as questões debatidas até aqui são no mínimo, provocativas. Imagino que você esteja se perguntando como pode explorar uma ferramenta de videocolaboração e que ferramentas estão disponíveis no mercado.

Vamos falar um pouco sobre o Elos

O Elos é um portal de videocolaboração desenvolvido pela empresa Mconf. Com ele é possível comunicar, colaborar e compartilhar. O mais legal dessa plataforma é que além de ter a possibilidade de integração com sistemas AVA, ela também é super personalizável. Isso significa que você pode colocar sua logomarca e outras informações referentes a sua empresa ou instituição.

Portal Elos — Histórico de Gravações

Quando você acessa o portal Elos para iniciar um sala de conversa é possível:

  • Compartilhar o endereço da sala com outras pessoas através de um link que você pode enviar ou disponibilizar nas suas mídias;
  • Convidar pessoas específicas para participar da sala virtual;
  • Fazer uma videocolaboração com até 100 pessoas simultaneamente;
  • Acessar relatórios de uso das salas, com informações sobre: duração das conversas; número de pessoas conectadas etc;
  • Acessar histórico de aulas e gravações realizadas;
  • Ter comodidade para acessar o portal e a sala através de dispositivos móveis.

A sala de videocolaboração

Sala de Videocolaboração Elos

Dentro da sala também encontramos ótimos recursos, vamos elencar alguns:

  • Compartilhamento de tela e apresentações;
  • Opção para bate-papo;
  • Exibição do status da conexão;
  • Marcadores;
  • Configuração de status;
  • Disponibilizar material para download;
  • Ativar notificações;
  • Gravar a conversa;
  • Entre outros…
Ficou com vontade de experimentar o Elos? Acesse nosso site e faça um teste agora!

Não deixe de se desafiar, experimentar novas alternativas. A educação EAD pode ser nossa aliada no engajamento de estudantes que, por vezes, evadem do ensino superior. Precisamos criar alternativas, proporcionar possibilidades. Mostrar aos nossos estudantes que há opções. Construir relações mesmo através das plataformas virtuais de aprendizagem.

Fonte da imagem de capa: Agência Brasil